20
jul
08

primeiro post

Esse post é apenas para informar que todos são BEM-VINDOS a este blog. Este texto deveria funcionar como uma apresentação do blog. Mas fica difícil eu apresentar algo que ainda não existe, deve ser por isso que alguns autores deixam por último o título do livro.

Apesar de em alguns momentos eu prestigiar o politicamento INCORRETO, este blog vai tratar de assuntos que conduzam ao politicamente CORRETO. Esse espaço será em prol de uma sociedade melhor. Aqui será o lugar de referência para quem deseja se tornar um ser humano melhor e conseqüentemente transformar a sociedade.

Não haverá IMPARCIALIDADEi. Serei sempre PARCIAL, por mais que eu tente ser imparcial. A garantia de justiça estará na minha posição, sempre deixarei claro quem ou o que eu defendo. Tomar posição é preciso, pô-la em questão é imprescindível.

Na busca de expandir, compartilhar e trocar idéias a respeito do que podemos fazer por um MUNDO MELHOR, serei sempre um soldado consciente.


Creative Commons License

“Primeiro Post” por
Gutemberg Motta é licenciado sob
Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.

Anúncios

21 Responses to “primeiro post”


  1. 1 Juba - agora o certo post
    20/07/2008 às 22:50

    Está escrevendo bem hein muchacho!!
    Parabéns pela iniciativa!!
    Um texto para o blog do Gutemblog 🙂

    A implosão da mentira

    Mentiram – me.
    Mentiram – me ontem
    e hoje mentem novamente.
    Mentem de corpo e alma completamente.
    E mentem de maneira tão pungente
    que acho que mentem sinceramente.
    Mentem sobretudo impunemente.
    Não mentem tristes,
    alegremente mentem.
    Mentem tão nacionalmente
    que acho que mentindo história a fora
    vão enganar a morte eternamente.
    Mentem, mentem e calam
    mas nas frases falam e desfilam de tal modo nuas
    que mesmo o cego pode ver a verdade em trapos pelas ruas.
    Sei que a verdade é difícil e para alguns é cara e escura,
    mas não se chega à verdade pela mentira
    nem à democracia pela ditadura.
    Evidentemente crer que uma flor nasceu em Hiroshima
    e em Auschwitz havia um circo permanentemente.
    Mentem, mentem caricaturalmente,
    mentem como a careca mente ao pente,
    mentem como a dentadura mente ao dente
    mentem como a carroça à besta em frente,
    mentem como a doença ao doente,
    mentem como o espelho transparente
    mentem deslavadamente como nenhuma lavadeira mente
    ao ver a nódoa sobre o rio
    mentem com a cara limpa e na mão o sangue quente,
    mentem ardentemente como doente nos seus instantes de febre,
    mentem fabulosamente
    como o caçador que quer passar gato por lebre
    e nessa pilha de mentiras a caça é que caça o caçador
    e assim cada qual mente indubitavelmente.
    Mentem partidariamente,
    mentem incrivelmente,
    mentem tropicalmente,
    mentem hereditariamente,
    mentem, mentem e de tanto mentir tão bravamente
    constróem um país de mentiras diariamente.

    Fonte: Affonso Romano de Sant’Anna


Comments are currently closed.

Categorias