21
jul
08

Oceano de Plástico

Depois de receber por email algumas fotos surpreendentes de como nosso lixo está afetando a vida marinha, fiz uma busca na internet e descobri um post muito bom tratando desse tema e também um artigo em inglês direto do site do Greenpeace.

Isso me fez lembrar uma cena inesquecível de quando eu fazia estágio de Eletrotécnica, no Arsenal da Marinha, que fica localizado na Ilha das Cobras, que por sua fez fica na Baía de Guanabara (RJ). Ano de 1999, eu andando pelo Arsenal da Marinha, quando eu olho apara para a Baía, um objeto flutuante não identificado. Nessa época não era comum ter tantas câmeras digitais como hoje, e infelizmente essa foto ficou apenas nas minhas lembranças, mas se tratava de uma geladeira flutuante!

No recente filme da Warner Bros, Happy Feet, o tema de fundo é ambiental. Parte da trama do filme é sobre um Ancião que adquiriu poderes especiais depois de ter recebido um objeto sagrado. Na verdade o tal objeto sagrado é uma embalagem plástica de um engradado de latas de alumínio, ou seja, um lixo que acidentalmente foi parar no pescoço do pingüim.

A conscientização ecológica está em moda, mas a prática do ambientalmente correto está muito longe de ser tornar moda. Diariamente vemos casos de descaso absoluto, poderia falar de mais de uma centena de casos, mas vou me restringir a apenas mais um.

Esse caso ocorreu semana passada, num banheiro do BNDES (RJ). Estava lavando minhas mãos, quando entra um funcionário do banco e de uma só vez retira 5 ou 6 folhas de papel toalha do dispenser, põe sobre a bancada, e sobre os papéis coloca um pacotinho de biscoito fechado, de mais ou menos 30g, lava as mãos, e na hora de secar as mãos… Não preciso nem dizer… Mas acho que ele bateu o recorde mundial de retirada de papel toalha, em 2 segundos ele retirou mais umas 5 ou 6 folhas de papel-toalha. Foram 12 folhas de papel toalha para lavar as mãos!

Creative Commons License

“Oceano de Plástico” por
Gutemberg Motta é licenciado sob
Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.

Agora vamos deixar de papo e vamos reproduzir o post do idealismodebuteco que falei anteriormente.

Durabilidade, estabilidade e resistência a desintegração. As propriedades que fazem do plástico um dos produtos com maiores aplicações e utilidades ao consumidor final, também o tornam um dos maiores vilões ambientais. São produzidos anualmente cerca de 100 milhões de toneladas de plástico e cerca de 10% deste total acabam nos oceanos, sendo que 80% desta fração vem de terra firme.

giro-mais-lixo.jpg

Foto do vórtex

No oceano pacífico há uma enorme camada flutuante de plástico, que já é considerada a maior concentração de lixo do mundo, com cerca de 1000 km de extensão, vai da costa da Califórnia, atravessa o Havaí e chega a meio caminho do Japão e atinge uma profundidade de mais ou menos 10 metros.Acredita-se que haja neste vórtex de lixo cerca de 100 milhões de toneladas deplásticos de todos os tipos.

Pedaços de redes, garrafas, tampas, bolas , bonecas, patos de borracha, tênis, isqueiros, sacolas plásticas, caiaques, malas e todo exemplar possível de ser feito com plástico.Segundo seus descobridores, a mancha de lixo, ou sopa plástica tem quase duas vezes o tamanho dos Estados Unidos.

vortex.jpg

Ocean Plastic

O oceanógrafo Curtis Ebbesmeyer, que pesquisa esta mancha a 15 anos compara este vórtex a uma entidade viva, um grande animal se movimentando livremente pelo pacifico. E quando passa perto do continente, você tem praias cobertas de lixo plástico de ponta a ponta.

sea-turtle-deformed.jpgA bolha plástica atualmente está em duas grandes áreas ligadas por uma parte estreita. Referem-se a elas como bolha oriental e bolha ocidental. Um marinheiro que navegou pela área no final dos anos 90 disse que ficou atordoado com a visão do oceano de lixo plástico a sua frente. “Como foi possível fazermos isso?” – “Naveguei por mais de uma semana sobre todo esse lixo”.

Tartaruga deformada por aro plástico

Pesquisadores alertam para o fato de que toda peça plástica que foi manufaturada desde que descobrimos este material, e que não foram recicladas, ainda estão em algum lugar. E ainda há o problema das partículas decompostas deste plástico. Segundo dados de Curtis Ebbesmeyer, em algumas áreas do oceano pacifico podem se encontrar uma concentração de polímeros de até seis vezes mais do que o fitoplâncton, base da cadeia alimentar marinha.

birdtummy.jpg

Todas a peças plásticas à direita foram tiradas do estômago desta ave

Segundo PNUMA, o programa das nações unidas para o meio ambiente, este plástico é responsável pela morte de mais de um milhão de aves marinha todos os anos. Sem contar toda a outra fauna que vive nesta área, como tartarugas marinhas, tubarões, e centenas de espécies de peixes.

dead_bird.jpg

Ave morta com o estômago cheio de pedaços de plástico

E para piorar essa sopa plástica pode funcionar como uma esponja, que concentraria todo tipo de poluentes persistentes, ou seja, qualquer animal que se alimentar nestas regiões estará ingerindo altos índices de venenos, que podem ser introduzidos, através da pesca, na cadeia alimentar humana, fechando-se o ciclo, na mais pura verdade de que o que fazemos à terra retorna à nós, seres humanos.

Via: The Independent, Greenpeace e Mindfully

Em 2011, três anos após este post, segue reportagem do Fantástico:

Anúncios

6 Responses to “Oceano de Plástico”


  1. 10/08/2008 às 11:45

    É verdade, a conscientização ambiental está querendo explodir como meta, mas ainda está longe de uma excelência.
    Falta a ação, que deve passar por uma educação a nível mundial passando dos primordios dos colégios aos governantes, acreditanto que sejam estes os principais responsáveis deste drama, visto que as causas ambientais não são a base de propostas de campanhas eleitorais, e quando estão presentes, são meras iscas eleitoreiras.
    Sempre se falava em algo parecido com:”cuidemos o mundo, para deixar um melhor mundo para nossos filhos”…Ao passo que está a degradação do nosso ambiente,podemos dizer com certeza:”cuidemos o mundo, para ter um mundo melhor na nossa velhice!”

    • 2 Perciliana Herzog
      12/12/2009 às 14:38

      Impressionante a foto da tartaruga e da ave, vítimas da ignorância humana.Morei em uma ilha em 1974 com fauna e flora bastante protegidas pelas circunstâncias,três mil habitantes, então.Mas sofríamos a interferência no período de férias, quando a população triplicava.Naquela época já costumava passear pela orla da praia recolhendo objetos deixados pelos banhistas no final do dia.Frascos de plástico,em maior parte.Faço isso a 39 anos, sempre com muita indignação,mas conto com a ajuda de outras formiguinhas como eu,alunos dos anos letivos ,para os quais leciono.Sei que nem todos fazem as tarefas,mas prefiro contar com os ‘homens de fé e de boa vontade’.Faça sua parte! Só a Educação pode transformar .A educação ambiental deveria fazer parte de todos os conteúdos didáticos,assim como em todos os aspectos sociais, culturais e principalmente indústriais.

  2. 3 gutembergmotta
    10/08/2008 às 14:50

    Lidia, você tem toda a razão. Basta observarmos, por exemplo, a nossa última eleição para presidente, o candidato que tinha como proposta a educação, Cristovam Buarque, não obteve nem 3% dos votos! A mídia se aproveita do que está na moda, e o meio ambiente está na moda. Porém essa moda não tem ajudado tanto o meio ambiente.

  3. 4 Rosa
    12/09/2008 às 11:27

    Como professora de Ciências, estou tentando, com mais uma colega de trabalho da área de Geografia, a sensibilizar os alunos em relação ao consumo de Plásticos de uma forma geral.

    Ao longo dos anos percebi que o termo conscientização é algo muito pesado e nunca, mas nunca mesmo, conscientizamos ninguém, o máximo que conseguimos é sensibilizar os indivíduos.Se mudarem de atitudes, de pontos de vista e ações, foi porque eles se conscientizaram graças a uma sensibiliação. Consciência é algo muito intimo, e depende muito: das aquisições culturais; do meio em que habita e das expectativas que tem em relação à vida.

    Enfim, utilizarei seu site e tuas imagens para tentar sensibilizar eles ainda mais, para tentar que a consciencia chegue mais rápido!!!

  4. 5 gutembergmotta
    12/09/2008 às 14:20

    Rosa, você tem muita razão no que diz, a conscientização é um tarefa pessoal e instransferível. Sensibilizar alguém sobre um tema é o máximo que podemos oferecer. Não podemos parar de tentar! Podemos até não alcançar a vitória em nosso tempo, mas devemos manter a luta para que outros possam alcançá-la. Fico muito feliz com suas palavras, obrigado.

  5. 06/08/2009 às 22:50

    Infelizmente é tudo verdade. Em parte, culpa nossa também pelo nosso consumismo desenfreado. Somos filhos do capitalismo, mas isso não explica tanta sujeira.


Comments are currently closed.

Categorias


%d blogueiros gostam disto: