12
abr
13

A desilusão tarda mais não falha

Enfim, aos 31 anos, desilusão. Essa caçadora de almas chegou como quem não queria nada e se alojou no meu peito. Como pude passar tantos anos incólume, tantos anos sem contato com ela? Acompanhei apenas de longe sua atuação em vidas alheias, por alguns instantes cheguei a pensar que ela não passaria de uma lenda. Incrível como tudo corrobora, tudo tem o aspecto de que foi estrategicamente planejado para dar errado justamente no lugar que deu errado, no momento que deu errado. Verdadeiro bullying da vida!

Como sabemos que a desilusão chega?

Quando tudo perde o gosto
Quando tudo perde a cor
Quando tudo fica frio
Quando mais nada causa dor…

Quando o rio segue em frente
E a gente nem remou
Quando a vida pede passagem
E a gente nem se importou

Tanta mesmice
Pra quem nunca dela se livrou
Tanta novidade
Pra quem nunca dela vivenciou

Sempre me intrigou muito o olhar de muitos fumantes compulsivos antes do seu próximo cigarro, sempre creditei a falta da nicotina o motivo daquele olhar sem brilho, mas hoje vejo que a razão daquele olhar é mais do que a falta da nicotina, pode ser desilusão… A nicotina deve funcionar apenas como uma espécie de soro na vida desses morimbundos.

Minha música tema:

Creative Commons License

“A desilusão tarda mais não falha” por Gutemberg Motta é licenciado sob Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.

Eu apoio:

Support Wikipedia tt

 

 

 

 

 

 

Anúncios


Categorias


%d blogueiros gostam disto: