23
jun
13

Manual de sobrevivência em manifestações – Evitando ser massa de manobra

instruction-manualEsse é um texto de alerta para você que acordou. Você que despertou e, como num passe de mágica, saiu às ruas, dando sua valoroza contribuição pelas causas justas. Este momento de euforia pela descoberta de um sentimento cívico deve ser racionalmente analisado. Você será alvo prioritário de dois grupos, o primeiro: interessado em te usar de massa de manobra e, o segundo, interessado em te conscientizar, aprenda a se afastar do primeiro grupo. Abaixo seguem algumas orientações de como sobreviver em meio as manifestações e não se tornar massa de manobra de ideias com as quais não concorda.

1 – Não tem jeito, se você quiser participar da política, desde o voto a cada 2 anos até as manifestações públicas, você precisa se informar. A INFORMAÇÃO É A SUA ARMA e, assim, você terá maiores chances de estar fazendo a coisa certa.

2 – A internet é a reprodução de parte do mundo real e você encontrará tanto coisas boas quanto más. NÃO BASTA ESTAR NA INTERNET PARA SER BOM.

3 – O debate gira em torno do espectro entre esquerda e direita, passando por pessoas que se dizem à margem. TODOS OS LADOS DEFENDEM PRINCÍPIOS BONITOS NA TEORIA, o que está em jogo é a prática dessas teorias.

4 – MOVIMENTOS ANTI-PARTIDÁRIOS PODEM SER TOTALITÁRIOS, preste atenção nas demais propostas do movimento. Se não deve existir o direito de pensar diferente, de ser partidário de outras ideias, o que existe é ausência de direitos básicos de liberdade. Olhe a história da sociedade ocidental e veja que na ausência desse direito, existiram regimes totalitários como o Nazismo, Facismo e outras ditaduras.

5 – Vivemos um momento de crise democrática, os partidos tradicionais estão corrompidos pela lógica do sistema, resultando em mensalões e condenações. Mas lembre-se: OS PARTIDOS SÃO PARTE DO PROBLEMA MAS TAMBÉM PODEM SER PARTE DA SOLUÇÃO.

6 – A política é tão suja quanto a própria sociedade em que vivemos, por isso CUIDADO COM AQUELES QUE DEFENDEM O QUE TODOS JÁ DEFENDEM, esses são demagogos, não faz sentido ser contra a corrupção. Alguém é declaradamente a favor da corrupção sem ser repreendido por isso? Então, defender o fim da corrupção, por exemplo, é chover no molhado. Conheça outras ideias dessas pessoas que não sejam consenso.

7 – O USO DO SENTIMENTO PATRIÓTICO É PERIOGOSO, estimula o ufanismo e evita o ato de pensar. Sempre que cantam o Hino Nacional ou seguram a Bandeira do Brasil, nosso cérebro, imerso neste sentimento, tende a ignorar a razão, cuidado!

8 – O Estado detêm o monopólio do uso legítimo da violência, mas isso não significa que a violência do Estado é sempre legítima. PERANTE UM ESTADO ESTÚPIDO, A VIOLÊNCIA CONTRA ELE PODE SER LEGÍTIMA. Quando há esse confronto, as forças sociais tendem a se redimensionarem e reorientarem.

9 –  Muitos reconhecem na mídia o 4° poder, após o legislativo, executivo e o judiciário. No Brasil, assim como na maioria do mundo, estabeleceu-se um poder uníssono, representado pelas grandes empresas de mídia. Não se engane, a grande mídia tem grandes interesses em jogo, ela está a serviço do status quo. A GRANDE MÍDIA NÃO ESTÁ AO SEU LADO, duvide e interprete sob esta ótica as notícias “favoráveis” aos interesses da sociedade.

10 – As ideias fazem sentido somente no contexto, não as julgue sem ouvir os prós e os contras. Até as ideias mais estapafúrdias num primeiro momento, podem fazer sentido e o inverso também é verdade. DEFENDA IDEIAS QUE VOCÊ ESTUDOU, principalmente assim, você evitará de se tornar massa de manobra.

11 – VERIFIQUE O REMETENTE DAS MENSAGENS E IDEIAS. Saber quem escreveu aquela frase, quem assina aquele texto, garante uma interpretação melhor do significado. Para completo entendimento das propostas, é essencial descobrir por quem e por que foi escrita.

12 – Tudo é questionável, tudo pode e deve ser debatido, mas dar prioridade aos assuntos mais oportunos e importantes é agir com inteligência. CONCENTRE O DEBATE NO ESSENCIAL.

13 – Os movimentos sociais sempre existiram e eles nunca dormiram. SÓ PODE ACORDAR QUEM ESTAVA DORMINDO. Vai participar das manifestações? Leve em consideração a opinião de quem faz isso a mais tempo, pode ser importante.

14 – CUIDADO COM OS QUE PROCLAMAM IMPARCIALIDADE, tudo tem algum viés. Esse texto, por exemplo, apesar de ser uma sincera tentativa de imparcialidade, contém julgamentos de valor. Preocupe-se muito com os que se dizem imparciais, estes escondem prévios julgamentos.

15 – Tudo muda numa velocidade incrível, tudo é muito dinâmico. Pense e repense a cada momento, o errado de ontem, pode ser o certo de hoje. Por fim, lembre-se: NÃO HÁ NADA MAIS FORTE QUE UMA IDEIA CUJO O TEMPO CHEGOU.

Creative Commons License

“Manual de sobrevivência em manifestações – Evitando ser massa de manobra” por Gutemberg Motta é licenciado sob Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.

Anúncios

4 Responses to “Manual de sobrevivência em manifestações – Evitando ser massa de manobra”


  1. 1 Iran Aguiar
    24/06/2013 às 12:04

    item 4 – Ditaduras de esquerda tbm nasceram no viés de negar o direito do outro pensar diferente

    • 24/06/2013 às 13:29

      Sem dúvida e pior, essas ditaduras não cumpriram sua função de auto-implosão posterior! Esta percepção gerou uma mudança na própria esquerda que hoje, em sua maioria, defende a manutenção da democracia, no que talvez possamos chamar de Socialismo do Século XXI.

  2. 3 Luzinha
    21/10/2013 às 12:19

    Parabéns, muito bem escrito. Quando vejo tanta violência desencadeada com tanta facilidade consigo entender porque Hitler foi tão longe.

    • 22/10/2013 às 13:28

      Essa é uma reflexão muito importante. Do que conhecemos na história, onde há concentração de poder, há corrupção e/ou violência. Mas, por sorte, também há contra-poder e resistência.


Comments are currently closed.

Categorias


%d blogueiros gostam disto: