Archive for the 'Política' Category

23
jun
13

Manual de sobrevivência em manifestações – Evitando ser massa de manobra

instruction-manualEsse é um texto de alerta para você que acordou. Você que despertou e, como num passe de mágica, saiu às ruas, dando sua valoroza contribuição pelas causas justas. Este momento de euforia pela descoberta de um sentimento cívico deve ser racionalmente analisado. Você será alvo prioritário de dois grupos, o primeiro: interessado em te usar de massa de manobra e, o segundo, interessado em te conscientizar, aprenda a se afastar do primeiro grupo. Abaixo seguem algumas orientações de como sobreviver em meio as manifestações e não se tornar massa de manobra de ideias com as quais não concorda.

1 – Não tem jeito, se você quiser participar da política, desde o voto a cada 2 anos até as manifestações públicas, você precisa se informar. A INFORMAÇÃO É A SUA ARMA e, assim, você terá maiores chances de estar fazendo a coisa certa.

2 – A internet é a reprodução de parte do mundo real e você encontrará tanto coisas boas quanto más. NÃO BASTA ESTAR NA INTERNET PARA SER BOM.

3 – O debate gira em torno do espectro entre esquerda e direita, passando por pessoas que se dizem à margem. TODOS OS LADOS DEFENDEM PRINCÍPIOS BONITOS NA TEORIA, o que está em jogo é a prática dessas teorias.

4 – MOVIMENTOS ANTI-PARTIDÁRIOS PODEM SER TOTALITÁRIOS, preste atenção nas demais propostas do movimento. Se não deve existir o direito de pensar diferente, de ser partidário de outras ideias, o que existe é ausência de direitos básicos de liberdade. Olhe a história da sociedade ocidental e veja que na ausência desse direito, existiram regimes totalitários como o Nazismo, Facismo e outras ditaduras.

5 – Vivemos um momento de crise democrática, os partidos tradicionais estão corrompidos pela lógica do sistema, resultando em mensalões e condenações. Mas lembre-se: OS PARTIDOS SÃO PARTE DO PROBLEMA MAS TAMBÉM PODEM SER PARTE DA SOLUÇÃO.

6 – A política é tão suja quanto a própria sociedade em que vivemos, por isso CUIDADO COM AQUELES QUE DEFENDEM O QUE TODOS JÁ DEFENDEM, esses são demagogos, não faz sentido ser contra a corrupção. Alguém é declaradamente a favor da corrupção sem ser repreendido por isso? Então, defender o fim da corrupção, por exemplo, é chover no molhado. Conheça outras ideias dessas pessoas que não sejam consenso.

7 – O USO DO SENTIMENTO PATRIÓTICO É PERIOGOSO, estimula o ufanismo e evita o ato de pensar. Sempre que cantam o Hino Nacional ou seguram a Bandeira do Brasil, nosso cérebro, imerso neste sentimento, tende a ignorar a razão, cuidado!

8 – O Estado detêm o monopólio do uso legítimo da violência, mas isso não significa que a violência do Estado é sempre legítima. PERANTE UM ESTADO ESTÚPIDO, A VIOLÊNCIA CONTRA ELE PODE SER LEGÍTIMA. Quando há esse confronto, as forças sociais tendem a se redimensionarem e reorientarem.

9 –  Muitos reconhecem na mídia o 4° poder, após o legislativo, executivo e o judiciário. No Brasil, assim como na maioria do mundo, estabeleceu-se um poder uníssono, representado pelas grandes empresas de mídia. Não se engane, a grande mídia tem grandes interesses em jogo, ela está a serviço do status quo. A GRANDE MÍDIA NÃO ESTÁ AO SEU LADO, duvide e interprete sob esta ótica as notícias “favoráveis” aos interesses da sociedade.

10 – As ideias fazem sentido somente no contexto, não as julgue sem ouvir os prós e os contras. Até as ideias mais estapafúrdias num primeiro momento, podem fazer sentido e o inverso também é verdade. DEFENDA IDEIAS QUE VOCÊ ESTUDOU, principalmente assim, você evitará de se tornar massa de manobra.

11 – VERIFIQUE O REMETENTE DAS MENSAGENS E IDEIAS. Saber quem escreveu aquela frase, quem assina aquele texto, garante uma interpretação melhor do significado. Para completo entendimento das propostas, é essencial descobrir por quem e por que foi escrita.

12 – Tudo é questionável, tudo pode e deve ser debatido, mas dar prioridade aos assuntos mais oportunos e importantes é agir com inteligência. CONCENTRE O DEBATE NO ESSENCIAL.

13 – Os movimentos sociais sempre existiram e eles nunca dormiram. SÓ PODE ACORDAR QUEM ESTAVA DORMINDO. Vai participar das manifestações? Leve em consideração a opinião de quem faz isso a mais tempo, pode ser importante.

14 – CUIDADO COM OS QUE PROCLAMAM IMPARCIALIDADE, tudo tem algum viés. Esse texto, por exemplo, apesar de ser uma sincera tentativa de imparcialidade, contém julgamentos de valor. Preocupe-se muito com os que se dizem imparciais, estes escondem prévios julgamentos.

15 – Tudo muda numa velocidade incrível, tudo é muito dinâmico. Pense e repense a cada momento, o errado de ontem, pode ser o certo de hoje. Por fim, lembre-se: NÃO HÁ NADA MAIS FORTE QUE UMA IDEIA CUJO O TEMPO CHEGOU.

Creative Commons License

“Manual de sobrevivência em manifestações – Evitando ser massa de manobra” por Gutemberg Motta é licenciado sob Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.

Anúncios
14
jun
13

Um movimento que andou

Ontem, 13 de junho de 2013, os movimentos sociais, após muito tempo, conseguiu emplacar um grande protesto. Aproximadamente 10 mil manifestantes marcharam pela redução do preço do trasnporte público entoando entre outros cânticos, um assim: “Acabou o amor, isso aqui vai virar a Turquia” em referências as protestos recentes ocorridos em Istambul. Grande parte da organização e, principalmente, da convocação da população, ocorreu através das redes sociais pela internet.

P1060570

Os manifestantes começaram a se aglomerar por volta das 17h na praça em frente a Candelária. Mais tarde, o movimento saiu em direção a Cinelândia. Foi possível ocupar toda a Rio Branco e ao se aproximarem da Cinelândia o movimento quase rachou, alguns queriam acabar o protesto na Cinelândia, enquanto outros quiseram seguir para a Alerj num trecho não previsto pela PM que acompanhava o protesto. A segunda opção saiu vencedora e todos seguiram para Alerj.

P1060573

A partir deste ponto, essa manifestação que até então havia se demonstrado pacífica, começou a ficar manchada pela presença de algumas pessoas, um grupo diminuto que começou a pixar a cidade e praticar atos de vandalismo. Ao chegar na Alerj, toda a frente do Palácio Tiradentes foi ocupada junto a um grande trecho da Av. 1° de Março. E, apesar do vandalismo a polícia manteve a postura de apenas acompanhar a manifestação.P1060575

Após alguns fogos de artifícios, após cantarem o hino nacional, a manifestação começou a se dispersar. Uma parte menor da manifestação incentivada pelo pequeno grupo de rebeldes que pixava e depredava a cidade partiu em direção a Av. Presidente Vargas em busca de confusão, que segundo os noticiários, aconteceu mais tarde nas proximidades da Cidade Nova, terminando na repressão policial.

Apesar dos atos de um pequeno grupo de rebeldes, minimamente, para lá de questionáveis, a manifestação cumpriu seu papel como um cartão de visita do que deve acontecer durante os grandes eventos no Rio de Janeiro. O recado foi dado, Paes, Cabral e Dilma, o grupo de insatisfeitos com a atual administração do sistema está se organizando autonomamente e irá as ruas para cobrar. Como um grito de guerra que foi cantado nas ruas nessa quinta-feira: “Da Copa, da Copa, da Copa eu abro mão, eu quero é dinheiro para saúde e educação.

 

Creative Commons License

“Um movimento que andou” por Gutemberg Motta é licenciado sob Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.

Eu apoio:

Support Wikipedia tt
16
maio
13

Justiça por Michael J. Sandel

Esse artigo não se propõe a ser uma resenha do livro, não terei essa preocupação. Apenas quero discorrer e comentar um pouco sobre esse livro. O seu autor, professor de Havard, Michael J. Sandel, após lecionar uma disciplina chamada Justiça por alguns anos, escreveu este livro homônimo, de subtítulo “O que é fazer a coisa certa”.

Esses anos de curso possibilitou um livro didaticamente organizado com variados exemplos, consolidando um conteúdo muito rico de forma muito acessível. Ao longo do livro variadas teorias políticas são abordadas, com destaque para o Utilitarismo (Jeremy Betham e John Stuart Mill), a Ideologia Libertária (Milton Friedman e Robert Nozick), o Racionalismo (Immanuel Kant e John Rawls) e a Teoria Teleológica de Aristóteles.

Este livro é uma introdução a ciência política através de um questionamento atual e instigante: “O que é fazer a coisa certa?”. Essa obra extremamente palatável aos mais leigos, é um sucesso do mercado editorial que cumpre uma função educacional importante, primeiro por levar esse conteúdo para um público acadêmico não pertencente as àreas de Humanas e, em segundo lugar, ao levar esse mesmo conteúdo para além da cátedra.

Além das referências já citadas, vários outros autores conhecidos dão o ar da graça no livro. Porém, um grande mérito do livro é um autor não muito conhecido pelo menos por essas bandas tupiniquins, eu mesmo nunca tinha ouvido falar antes: Alasdair MacIntyre, que apresenta um conceito fantástico chamado por ele de “interpretação narrativa” que considera nossas escolhas como condicionadas por nossa jornada, por nossa história individual e coletiva, de uma visão extremamente peculiar.

Na conclusão do livro, o autor ainda defende seu ponto de vista aristotélico, pesando os prós e os contras de toda a discussão moral envolvida. Um grande livro para quem quer enriquecer o debate, bebendo dos excelentes exemplos apresentados e um livro extraordinário para que nunca teve contato com as Ciências Sociais.

Creative Commons License

“Justiça por Michael J. Sandel” por Gutemberg Motta é licenciado sob Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.

Eu apoio:

Support Wikipedia tt
20
jun
12

Marcha contra a Economia Verde (RIO+20)

Vídeo gravado na tarde de hoje, 20/06/2012, quando mais de 50 mil pessoas saíam pelas ruas do Centro do Rio de Janeiro para protestar.

Creative Commons License

“Marcha contra a Economia Verde (RIO+20)” por Gutemberg Motta é licenciado sob Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.

Eu apoio:

Support Wikipedia
19
jun
12

Soneto da Providência

“No Morro da Providência eu entrei

Esperei a primeira vontade passar, esperei, esperei

Esperei a segunda vontade passar, esperei, esperei

A terceira vontade não segurei

Uma foto com a minha cam eu tirei”

(Livremente inspirado no Convento das Carmelitas de Rogério Skylab)

Com todo o deslumbramento desta vista, além da foto ainda tive inspiração para um soneto. Queria poder só falar da beleza da vida, mas essa foto é apenas a introdução de um assunto mais delicado. Hoje os moradores do Morro da Providência estão sendo tratados sem o menor respeito em processos de remoção sem nenhuma participação da comunidade local por conta de uma Copa do Mundo, de uma Olimpíada e de um tal Porto Maravilha… Aliás, não é só o Morro da Providência que passa por este processo, mas todas as regiões que são consideradas de interesse pela especulação imobiliária.

Será que os princípios pelos quais foram criadas a Copa do Mundo e as Olimpíadas são compatíveis com tudo que está acontecendo para recebê-las, no Brasil e principalmente no Rio de Janeiro? A Lei Geral da Copa que está sendo enfiada goela abaixo do Congresso brasileiro, é um regime de exceção sem data certa para terminar. Os investimos que fazemos hoje em estádios são em detrimento do quê? Dos juros da dívida pública tenho certeza que não é, estes são sagrados!

Creative Commons License

“Soneto da Providência” por Gutemberg Motta é licenciado sob Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.

Eu apoio:

Support Wikipedia
18
jun
12

Mostra Social em Movimentos RIO+20

De 13 a 17 de junho de 2012 aconteceu uma mostra de cinema na Caixa Cultural, Rio de Janeiro, que há muito eu não presenciava de tal qualidade, sob o título de Social em Movimentos RIO+20. Apesar de um público reduzido, muito em parte pela concorrência com outros eventos paralelos que estão correndo em todo Rio de Janeiro em consequência da RIO+20, a riqueza que estava à disposição da mostra era tão grande que podemos dizer que o evento fez um extremo sucesso para os que presenciaram.

A mostra foi divida em quatro temas: NOSSO CLIMA, NOSSA ÁGUA, NOSSA COMIDA e NOSSO CONSUMO. Alguns dos filmes exibidos são indispensáveis para a conscientização coletiva necessária, a realização de debates também engrandeceu o evento. A reflexão proposta no evento, levou-me a “novas” soluções para velhos problemas e a acreditar cada vez mais que precisamos agir.

Abaixo, faço um “inventário” dos filmes da mostra:

CURTAS:

Bomtempo – Clique aqui para assistir o filme completoAvó Grilo – Clique aqui para assistir o filme completoBartô – Clique aqui para assistir o filme completoCaixa – Clique aqui para assistir o filme completoCalango Lengo – Clique aqui para assistir o filme completoGente Grande – Clique aqui para assistir o filme completo

Escalada – Clique aqui para assistir o filme completo

Mocó Jack – Clique aqui para assistir o filme completo

Tamanduá Bandeira – Clique aqui para assistir o trailer

A terra a gastar – Clique aqui para assistir o filme completo

LONGAS:

Alma – Clique aqui para assistir o filme completoA terra da lua partida – Clique aqui para assistir o trailerPandemonium – Clique aqui para assistir o trailerCoberta de fumaça – Clique aqui para assistir o trailer(Em francês)Água Invisível Clique aqui para assistir o trailerNossos filhos irão nos culpar – Clique aqui para baixar o torrent (Em inglês) / Clique aqui para comprar o DVD (Em inglês) / Clique aqui para assistir o trailer1  / Clique aqui para assistir o trailer2 / Clique aqui para assistir o filme completo

Milho – Clique aqui para assistir o trailer

O veneno está na mesa – Clique aqui para assistir o filme completo  / Clique aqui para assistir o trailer

Comprar, Tirar, Comprar – Clique aqui para assistir o filme completo / Clique aqui para assistir o trailer

2012 – Tempos de mudança – Clique aqui para assitir o filme completo / Clique aqui para assistir o trailer / Clique aqui para comprar o DVD / Clique aqui para baixar o torrent

Alguns comentários sobre alguns filmes que vi:

Alma – Me fez lembrar bastante de “A Carne é fraca“, penso que tirando o aspecto da visão vegetariana largamente abordada em a “A carne é fraca”, este filme é totalmente contemplado no filme  “Alma” que é mais abrangente. Para quem não assistiu nenhum dos dois, os filmes mostram o processo industrial alimentar, desde a criação animal, até chegar a sua mesa, passando pelas etapas mais cruéis deste processo, como os matadouros.

Nossos filhos irão nos culpar – Apresenta um projeto de uma cidade francesa que adere a comida orgânica nas cantinas escolares e mostra todos os desdobramentos desta ação na comunidade. Ponto alto do filme é a música cantada pelo coral da escola, mostra que assim como o software livre, a alimentação orgânica não se esgota em si mesma, mas projeta uma sociedade mais justa.

O veneno está na mesa – Cumpre o seu papel ao apresentar a situação alarmante da agricultura “convencional” no Brasil. Seus perigos e suas consequências que estão intrinsecamente ligadas aos processos dinâmicos da sociedade capitalista atual.

***Comprar, tirar, comprar – Para você que sempre ouviu falar em obsolescência planejada e sempre pensou razoavelmente sobre o assunto, saiba: O assunto é muito mais polêmico do que você possa imaginar! Filme revelador!

***2012 – Tempos de mudança – Esse filme é sui generis! Esse é aquele que só assistindo para entender, basicamente, meu recado é: Assista!

Legenda: *** = Imperdíveis

Creative Commons License

“Mostra Social em Movimentos RIO+20” por Gutemberg Motta é licenciado sob Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.

Eu apoio:

Support Wikipedia
23
maio
12

Desrespeito ao consumidor

O consumidor, a principal engrenagem do sistema capitalista, é desrespeitado por aqueles que deveriam atendê-lo da melhor maneira possível. Já pensou como é paradoxal você ter que enfrentar filas intermináveis para pagar uma conta no banco? Afinal você foi ao banco para pagar!

Além de encararmos a falta de informações, o despreparo dos vendedores e a malícia das propagandas, temos que superar o maior dos desafios, o PÓS-VENDA. Depois que pagamos qualquer coisa, nós nos tornamos um consumidor de segunda categoria.

E um grande problema do pós-venda é a entrega. O Código de Defesa do Consumidor – CDC garante apenas a obrigatoriedade do cumprimento do prazo de entrega previamente informado, mas o que poucos sabem é que existem algumas legislações estaduais que oferece maiores benefícios aos consumidores.

Toda essa coleção de desrespeitos nada mais é que a opressão exercida sobre lado mais fraco da sociedade, os não detentores de capital. Algumas leis tentam garantir direitos que beneficiem a maioria da população, como a Lei 3.669 do Estado do Rio de Janeiro, porém muitas vezes essas leis são desrespeitadas pelos detentores de capital seja pela certeza da impunidade, seja pela vantagem financeira.

Um esforço desprendido para garantir nossos direitos como consumidores pode ser um insumo para nos descobrirmos como cidadãos e, quem sabe, nos levar a questionar todo esse sistema que nos divide entre detentores e não detentores de capital. Então, conheça seus direitos! Abaixo, seguem informações disponíveis no sítio do Procon-RJ, como a obrigatoriedade das empresas fixarem dia e hora da entrega de mercadorias no Rio de Janeiro:

No Estado do Rio de Janeiro a legislação determina não só a fixação da data como também da hora para entrega de produtos ou para realização de serviços aos consumidores.A Lei é de 2001, foi até atualizada este ano:A LEI Nº 5911, DE 03 DE MARÇO DE 2011 FEZ ALGUMAS EMENDAS A LEI Nº 3669, DE 21 DE JUNHO DE 2001.O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
Art.1º Acrescente-se o art. 1-A à Lei Estadual nº 3669, de 10 de outubro de 2001, que passará a vigorar com a seguinte redação:”Art. 1-A – O fornecedor afixará em local visível aviso com o seguinte teor: ‘É direito do consumidor ter o produto adquirido entregue em dia e hora, pré-estabelecidos no ato da compra, Lei 3669/2001.’Parágrafo único. Os avisos deverão estar dispostos em folha não inferior ao tamanho A4, impressos em letras com tamanho mínimo de 2cm de altura por 1cm de largura.”Art.2º Acrescente-se o art. 1-B à Lei Estadual nº 3669, de 10 de outubro de 2001, que passará a vigorar com a seguinte redação:

“Art. 1-B O descumprimento ao que dispõe o artigo 1-A da presente Lei acarretará ao comerciante multa no valor de 400 (quatrocentas) UFIR’s e o dobro em caso de reincidência, a ser revertida para o Fundo Especial de Apoio a Programas de Proteção e Defesa do Consumidor – FEPROCON”.

Art. 3º Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação.
Rio de Janeiro, em 03 de março de 2011.

SÉRGIO CABRAL

GOVERNADOR

O Procon/RJ orienta os consumidores que no ato da compra requeiram data e hora para a entrega do produto adquirido. Se o contato for por telefone, anote o número do protocolo e o nome do funcionário que fizer o atendimento. Se enviar e-mail, imprima a mensagem.

No Estado de São Paulo é obrigatório fixar o turno:

No caso de São Paulo, outra lei determina ainda que as empresas definam também o turno (manhã, tarde ou noite) mas o consumidor nem sempre é respeitado. Quando o fornecedor não cumpre o prazo de entrega previamente informado, o consumidor pode optar por uma das alternativas previstas no artigo 35 do Código de Defesa do Consumidor: – exigir o cumprimento forçado da obrigação, nos termos da oferta, apresentação ou publicidade; – aceitar outro produto ou prestação de serviço equivalente; – rescindir o contrato, com direito à restituição da quantia eventualmente antecipada, monetariamente atualizada, mais perdas e danos.

O que fazer em caso de desrespeito com o consumidor:

De acordo com o Codigo de Defesa do Consumidor, quando o fornecedor não cumpre o prazo de entrega previamente informado, principalmente nas compras pela internet, o consumidor poderá optar por uma das alternativas previstas no artigo 35, in verbis:Art. 35 – Se o fornecedor de produtos ou serviços recusar cumprimento à oferta, apresentação ou publicidade, o consumidor poderá, alternativamente e à sua livre escolha:I – exigir o cumprimento forçado da obrigação, nos termos da oferta, apresentação ou publicidade;II – aceitar outro produto ou prestação de serviço equivalente;III – rescindir o contrato, com direito à restituição de quantia eventualmente antecipada, monetariamente atualizada, e a perdas e danos.É que este atraso caracteriza descumprimento da oferta.No entanto, para que esse direito seja garantido e exeqüível é importante que na hora da compra o consumidor faça constar no contrato ou no pedido a data e o horário em que a mercadoria deve ser entregue. Além disso, para maior êxito na demanda, envie carta com aviso de recebimento (AR), reiterando que a loja descumpriu a oferta.

Caso o problema continue, procure o Procon RJ em um de nossos postos de atendimento ou no Disque Procon no 151.

Por último, se o produto destinava-se ao uso profissional ou se o atraso trouxe perdas e danos, causando prejuízo ao consumidor, ele também pode pleitear indenização no Judiciário.

Fontes:

http://www.procon.rj.gov.br/entregamercadorias.html

http://www.procon.rj.gov.br/entrega.html

Creative Commons License

“Desrespeito ao consumidor” por Gutemberg Motta é licenciado sob Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.

Eu apoio:

Support Wikipedia



Categorias