03
ago
08

Os 100 Livros que mais influenciaram a humanidade

Sempre na busca pelo conhecimento, comecei a ler o livro que dá nome a esse post. “Os 100 Livros que mais influenciaram a humanidade” foi escrito por Martin Seymour-Smith (24/04/1928 – 01/07/1998), publicado em 1998 e traduzido para o português em 2002. O autor inglês foi poeta, crítico literário e biógrafo. E fez desta, sua última obra, no ano do seu septuagésimo aniversário e de sua morte.

Seymour-Smith separou este livro em 100 capítulos. Em cada capítulo, faz um breve resumo de um obra e expressa sua opinião. O autor escolheu cada um dos cem livros e expôs seus critérios na introdução.

Esse livro é uma oportunidade de ter uma ampla visão de todo pensamento humano já registrado. Pode servir como um guia para posterior aprofundamento, ou como uma leitura auxiliar.

Como, imagino, que poucas pessoas se disponibilizariam a ler esse livro, pensei em propagar esse conhecimento aqui, no Gutemblog. Tentarei levar o máximo de informação possível sobre cada uma das obras comentadas. Funcionará assim, a cada capítulo que eu ler, farei um resumo sobre o assunto. Deixo claro que não pretendo fazer mais que Seymour-Smith, numa tentativa vã de resumir o que já foi sintetizado por ele. Mas farei uma seleção mínima que possa servir como uma referência ao próprio livro e a cada uma das 100 obras selecionadas.

Os cem capítulos e futuros posts são:

I Ching

O Velho Testamento

A Ilíada e A Odisséia, de Homero

Os Upanishads

O Caminho e Seu Poder, de Lao-tzu

O Avesta

Anacletos, de Confúcio

História da Guerra do Peloponeso, de Tucídedes

Obras, de Hipócrates

Obras, de Aristóteles

História, de Heródoto

A República, de Platão

Elementos de Geometria, de Euclides

O Dhammapada

A Eneida, de Virgílio

Da Natureza da Realidade, de Lucrécio

Exposições Alegóricas das Leis Divinas, de Philo de Alexandria

O Novo Testamento

Vidas Paralelas, de Plutarco

Anais, Da Morte do Divino Augusto, de Cornélio Tácito

O Evangelho da Verdade

Meditações, de Marco Aurélio

Hipotiposes Pirrônicas, de Sexto Empírico

Novenas, de Plotino

Confissões, de Agostinho de Hipo (St Agostinho)

O Corão

Guia Para os Perplexos, de Moisés Maimônides

A Cabala

Suma Teológica, de Tomás de Aquino

A Divina Comédia, de Dante Alighieri

Elogio da Loucura, de Desidério Erasmo (de Roterdã)

O Príncipe, de Maquiavel

Do Cativeiro Babilônico da Igreja, de Martinho Lutero

Gargântua e Pantagruel, de François Rabelais

Institutos da Religião Cristã, de Calvino

Da Revolução das Órbitas Celestiais, de Nicolau Copérnico

Ensaios, de Michel Eyquem de Montaigne

Dom Quixote (primeira e Segunda partes), de Miguel de Cervantes

A Harmonia do Mundo, de Johannes Kepler

Novum Organum, de Francis Bacon

Primeiro Folio, de Shakespeare

Diálogo Sobre os Grandes Sistemas do Universo, de Galileu Galilei

Discurso Sobre o Método, de René Descartes

Leviatã, de Thomas Hobbes

Obras, de Gottfried W. Leibniz

Pensamentos, de Blaise Pascal

Ética, de Baruch Spinoza

O Progresso do Peregrino, de John Bunyan

Princípios Matemáticos da Filosofia Natural, de Isaac Newton

Ensaio Sobre a Compreensão Humana, de John Locke

Os Princípios Sobre o Conhecimento Humano, de George Berkley

A Nova Ciência, de Giambatista Vico

Um Tratado Sobre a Natureza Humana, de David Hume

A Enciclopédia, de Denis Diderot (org.)

Um Dicionário da Língua Inglesa, de Samuel Johnson

Cândido, de François Marie de Voltaire

Senso Comum, de Thomas Paine

Uma Pesquisa Sobre a Natureza Humana e a Causa da Riqueza das Nações, de Adam Smith

Declínio e Queda do Império Romano, de Edward Gibbon

Crítica da Razão Pura, de Immanuel Kant

Confissões, de Jean-Jacques Rousseau

Reflexões Sobre a Revolução na França, de Edmund Burke

Reivindicações dos Direitos da Mulher, de Mary Wollstonecraft

Uma Pesquisa Sobre Justiça Política, de William Godwin

Ensaio Sobre o Princípio da População, de Thomas Robert Malthus

Fenomenologia do Espírito, de George Wilhelm Hegel

O Mundo Como Vontade e Representação, de Arthur Schopenhauer

Curso em Filosofia Positivista, de Auguste Comte

Da Guerra, de Carl Marie von Clausewitz

Ou Isso/Ou Aquilo, de Søren Kierkegaard

O Manifesto Comunista, de Karl Marx e Friedrich Engels

“Desobediência Civil”, de Henry David Thoreau

A Origem das Espécies, de Charles Darwin

Sobre a Liberdade, de John Stuart Mill

Primeiros Princípios, de Herbert Spencer

“Experiências sobre Híbridos das Plantas”, de Gregor Mendel

Guerra e Paz, de Tolstoi

Tratado Sobre Eletricidade e Magnetismo, de James Clerk Maxwell

Assim Falou Zaratustra, de Nietzsche

A Interpretação dos Sonhos, de Freud

Pragmatismo, de William James

Relatividade, de Albert Einstein

Tratado da Sociologia Geral de Vilfredo Pareto

Tipos Psicológicos, de Carl G. Jung

Eu e Tu, de Martin Buber

O Processo, de Franz Kafka

A Lógica da Descoberta Científica, de Karl Popper

Teoria Geral do Emprego, Lucro e Dinheiro, de John Maynard Keynes

O Ser e o Nada, de Jean-Paul Sartre

O Caminho para a Servidão, de Friedrich von Hayek

O Segundo Sexo, de Simone de Beauvoir

Cibernética, de Norbert Wiener

1984, de George Orwell

Histórias de Belzebu para Seu Neto, de Ivanovitch Gurdjieff

Investigações Filosóficas, de Ludwig Wittgenstein

Estruturas Sintáticas, de Noam Chomsky

A Estrutura das Revoluções Científicas, de Thomas S. Khun

A Mística Feminina, de Betty Friedan

Citações do Comandante Mao Tse-tung, de Mao Tse-tung

Além da Liberdade e da Dignidade, de B. F. Skinner


Creative Commons License

“Os 100 Livros que mais influenciaram a humanidade” por
Gutemberg Motta é licenciado sob
Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil License.

Anúncios

8 Responses to “Os 100 Livros que mais influenciaram a humanidade”


  1. 1 Tífani
    04/08/2008 às 20:55

    Olá,
    Puxa dos 100 eu só li 14. Estou me sentindo uma besta! rs
    Na verdade, achei que esse era apenas mais um livro de bla bla bla, mas parece que estava enganada.
    Quem sabe um dia eu consiga ler todos os livros mesmo…
    Viva ao seu resumo! (por enquanto)

  2. 2 Eduardo
    29/01/2010 às 08:58

    Confesso que fui seduzido pelo título do livro e que motivou minha compra sem ter pesquisado as críticas.

    No entanto, estou decepcionado com o conteúdo. Tinha tudo para ser interessantíssimo, mas o autor desvia todo instante do capítulo (referente a uma obra).

    Quase sempre a narrativa aborda muito superficialmente um detalhe do capítulo e daí em diante o autor sai da linha e passa longe de onde gostaríamos de ler.

    Sinceramente, não recomendo este livro. Estou confuso se o livro é ruim ou mal escrito.

    • 3 gutembergmotta
      29/01/2010 às 10:19

      Ainda não terminei de ler este livro, mas percebo o que você quer dizer quando fala sobre a superficialidade com que o livro trata cada obra. Com certeza, isso ocorre pela ambição do projeto de comentar 100 obras num mesmo livro.
      Acredito que o livro sirva como índice das demais obras, e nesse aspecto ele não deve ser desprezado. Os posts que tenho feito deste livro neste blog são com o mesmo intuito, servir como um índice…

      Abraços,
      Gutemberg

  3. 4 Paulo
    09/09/2010 às 00:25

    O grande problema que trata o Eduardo é que o autor desvia com freqüência o escopo do assunto, deixa de falar da tese do livro que está resumindo e se põe a tecer comentários inúteis e subjetivos, por ex. quando repudia o materialismo de Marx, ou quando crítica cegamente Bertrand Russell, ou até mesmo quando deixa escapar seu ódio infantil ao Richard Dawkins (p 110).
    Por essas e outras que eu recomendo um livro de história do pensamento filosófico somado com um grande apanhado de resenhas sobre as obras que pretender ler.

  4. 24/12/2013 às 00:33

    Esse livro é um lixo, de fato.

    • 28/12/2013 às 15:23

      JD, os comentários tem caminhado junto da sua crítica. Como esse “projeto” de passar um resumo dos capítulos está parado junto a leitura, há tempos… Não tenho uma crítica formada. Praticamente abandonei sua leitura por outras prioridades. De qualquer maneira, continuo atraído pelo livro, pois admiro a ousadia em elencar-se os “100” livros mais influenciaram a humanidade… Contudo, se o meu projeto for reativado, pretendo oferecer apenas aqueles 1 ou 2 parágrafos úteis de cada capítulo, o que propiciaria um super resumo dos 100…


Comments are currently closed.

Categorias


%d blogueiros gostam disto: